fbpx

Mineiros bárbaros: a capa da estreia do Rosa Neon

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Uma ideia simples acabou rendendo a capa de um dos discos mais emblemáticos da MPB, Doces Bárbaros, o registro ao vivo do encontro entre Caetano Veloso, Maria Bethânia, Gilberto Gil e Gal Costa, de 1976.

A memorável foto foi idealizada e executada pelo fotógrafo paraense Orlando Abrunhosa, que ficou conhecido por fotografar a icônica foto do Pelé no tricampeonato do Brasil na Copa do Mundo de 1970.

Orlando Abrunhosa segura foto de Pelé no tricampeonato. Foto: Mauro Ventura

“Sugeri a Gil, Caetano, Gal e Bethânia se deitarem no chão e encostarem as cabeças. Troquei figurinha com o Caetano e ele comprou a ideia. Acharam diferente e quiseram fazer. Fotografei de cima. Tive que subir num banco para poder enquadrar”, conta Abrunhosa em entrevista ao Canal Brasil.

A capa ganhou design de Aldo Luiz, que também tem no currículo a icônica capa do A Tábua de Esmeralda (1979), de Jorge Ben Jor.

Arte de Aldo Luiz com foto de Orlando Abrunhosa

Quase 50 anos depois, os Doces Bárbaros continuam inspirando as novas gerações da nossa música. Mais especificamente, em 2019, a banda mineira Rosa Neon homenageou o quarteto baiano na capa do seu disco de estreia.

“Desde o início da banda, pessoas próximas diziam que tínhamos uma ‘vibe’ meio Doces Bárbaros, por causa das nossas influências hippies e da formação da época (dois artistas homens e duas mulheres)”, contou Marcelo Tofani, um dos integrantes do quarteto mineiro.

“Incorporamos essa comparação e resolvemos fazer uma releitura dessa capa tão emblemática, mas de um jeito moderno, com a nossa linguagem.”

(Marcelo Tofani, Rosa Neon)⠀
Arte de Yasmin Moura com foto de Sarah Leal

Leia mais sobre outras capas de disco da música brasileira aqui.