fbpx

O Pernambuco maravilhoso de Lia de Itamaracá em Ciranda Sem Fim

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

No Capa do Disco de hoje, a gente conversou com o Ceslo Hartkopf, artista responsável pela capa de Ciranda Sem Fim, da Lia de Itamaracá.⠀

Patrimônio imaterial de Pernambuco, Lia de Itamaracá, a cirandeira de maior renome no Brasil, lançou, em 2019, o quarto disco da sua carreira Ciranda Sem Fim, com apoio do edital Natura Musical. ⠀

Com produção de Dj Dolores, o disco transita entre a ciranda, maracatu e o brega, trazendo composições de Alessandra Leão, Chico César, Ava Rocha, entre outros nomes de várias gerações da música brasileira. ⠀

Nas letras, Lia canta sobre o mar, a praia, a lua, São Jorge, e a infância em Itamaracá — elementos que Celso buscou reproduzir na capa, tanto por meio de ilustrações do sol, do mar, do coqueiro e da lança de São Jorge, quanto por meio de elementos gráficos abstratos que remetessem a esses signos presentes nas canções. ⠀

Ao centro, a foto de Lia, de autoria de José de Holanda, foi colorizada artificialmente, ganhando um aspecto entre a fotografia e a ilustração. ⠀

“A Lia é uma entidade. Desde que me entendo por gente, ela faz parte da canção popular em Pernambuco. Eu não a conhecia pessoalmente, mas ela é uma daquelas figuras que você sente que conhece desde pequeno”. (Celso Hartkopf)

Leia mais sobre outras capas de disco da música brasileira aqui.⠀